Semas realiza palestra sobre regularização ambiental

 Capacitar os servidores e debater sobre o processo de regularização ambiental – Cadastro Ambiental Rural (CAR), Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) e Programa de Regularização Ambiental (PRA) – foi a finalidade da palestra desenvolvida pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), na última terça-feira (25), no auditório do órgão gestor ambiental do Pará. O nivelamento prosseguirá no dia 27 de julho, 1 e 2 de agosto, no horário de 9h as 13h.

 
O encontro apresentou as ferramentas disponíveis e o passo a passo para realizar os processos de regularização ambiental. A gerente de Planejamento Ambiental Rural, Maximira Silva, falou sobre a importância do CAR. “Esse diálogo é essencial para ampliar a nossa visão e buscar a otimização das funções desenvolvidas pela secretaria”, afirmou.
 
Diretora do Núcleo Regional de Gestão e Regularidade Ambiental (Nuram), Sylvia Santos destacou que a capacitação busca aperfeiçoar os métodos disponíveis e ressaltou a modernização das ferramentas. “Já evoluímos muito. Esse ano, a Semas está dando grandes passos em relação ao desenvolvimento tecnológico por meio de novas ferramentas. Estamos buscando capacitar e nivelar os servidores da sede e das outras unidades do Estado”, enfatizou.
 
A atividade foi transmitida ao vivo para os Núcleos Regionais (Nures) nos municípios de Altamira, Itaituba e Paragominas. A iniciativa foi vista de forma positiva pelos servidores que acompanharam toda a programação via internet. “Realizar a transmissão via internet visa nivelar as informações em geral. Portanto, essa troca de experiências entre as unidades regionais é de extrema importância, pois temos certeza que com essa interação todos falarão a mesma língua”, avaliou Sylvia Santos.
 
Coordenadora do Núcleo Regional de Altamira (Nure), Ema Castaneira acompanhou a transmissão e elogiou a novidade. “A integração e participação das Nures nas ações de gestão são positivas e devem ser fomentadas. Desta maneira, conseguimos dar um grande passo na solução do problema da distância física em relação à sede”, concluiu.
 
Por Nilson Cortinhas