Sead inicia atualização cadastral dos servidores públicos este mês

Sead inicia atualização cadastral dos servidores públicos este mês

O Governo do Estado, representado pelos secretários de Administração, Alice Viana, e Educação, Nilson Pinto, e integrantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) estiveram reunidos mais uma vez, nesta quarta-feira, 2, para discutir o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria.
 

A titular da Secretaria de Administração iniciou a reunião comunicando aos representantes do Sintepp que o Governo do Estado vai deixar a lei como está, revendo apenas os problemas de ordem jurídica. “Como as nossas considerações sobre alguns pontos da lei estavam causando polêmicas e gerando interpretações equivocadas por parte do sindicato, resolvemos encerrar a discussão, já que a lei é uma realidade”, ressaltou Alice Viana, que considerou o encontro com o Sintepp positivo. “Acredito que os representantes entenderam que o Estado tem mantido e honrado os compromissos”.
Segundo a secretária, ao propor algumas alterações na lei, o objetivo do Estado era qualificá-la melhor, já que ela apresenta alguns problemas de ordem jurídica. Na reunião, foi discutida a formação de uma comissão paritária, formada por representantes do governo estadual e do Sintepp, e que será responsável pela regulamentação dos artigos da  lei do PCCR.

Alice Viana informou, também, que neste mês de junho começa a atualização cadastral dos 103 mil servidores estaduais. O objetivo é atualizar os dados, buscar consistência nas informações que existem hoje e agilizar a concessão de vantagens e direitos dos servidores. “É um processo amplo, que vai atingir os servidores de todo o Estado. Ao concluir esse levantamento todas as vantagens serão implementadas na folha de pagamento e no cadastro dos servidores”, afirmou.
O secretário de Estadao de Educação, Nilson Pinto, respondeu alguns questionamentos dos representantes do sindicato em relação ao piso salarial da categoria, ao Sistema Modular de Ensino e sobre o PCCR. “A Secretaria sempre esteve aberta para discutir o tema educação. Para nós, o importante é melhorar a qualidade do ensino público no Estado”, afirmou.

Nilson Pinto aproveitou a oportunidade para solicitar à categoria que utilize menos o recurso da greve. “O ano letivo de 2011 já está prejudicado por conta das paralisações ocorridas ano passado. Não sou contra as manifestações sindicais, mas esse tipo de atitude acaba desgastando a relação pacífica que o Estado quer manter com os representantes dos servidores públicos”, concluiu.
 
Fonte: Agência Pará