Militares suspendem paralisação após proposta do Governo

 

O Governo do Pará conseguiu conter a paralisação dos Policiais Militares e Bombeiros do Estado. A negociação que aconteceu na manhã desta quinta-feira (19) e se estendeu até as 20h30, foi realizada no Centro Integrado de Governo (CIG), onde o Governo apresentou a contraproposta de reajuste salarial para os policiais militares que varia de 18% a 26%, já na próxima folha do mês de fevereiro.

O Estado garantiu ainda que a mesa de negociação permanente está aberta para o diálogo entre ambos. Além do reajuste e da mesa de negociação, foi concedido também o interstício de 5% para os praças; 70% de gratificação de risco de vida. De acordo com Alice Viana o esforço do Governo contabilizará um acréscimo na folha de pagamento do Estado de R$ 32 milhões. “Além do aumento real no salarial dos policias a categoria conseguiu outra importante conquista, que é a permanência da mesa de negociação, que possibilitará novos ganhos para categoria”, disse.

 

 

A secretária de administração informou que até segunda-feira (23) deverá ser publicado no Diário Oficial um decreto oficializando a mesa de negociações que também tratará com a categoria de outros assuntos: o prazo de implantação da jornada de trabalho para 40 horas semanais; o adicional de interiorização e o auxílio fardamento para cabos e soldados, além de mais 30% na gratificação por risco de vida. “Essas reivindicações serão discutidas na mesa de negociação, considerando sempre as condições financeiras do Estado”, ressaltou Alice Viana.

Dois projetos de lei devem ser encaminhados no próximo mês de fevereiro para a Assembléia Legislativa do Pará (Alepa) a fim de estabelecer o valor do adicional de interiorização de acordo com a região do Estado e de viabilização da recompensa salarial dos oficiais militares.

 

 

Após o fim das negociações os representantes do Governo do Estado do Pará, Secretária de Estado de Administração, Alice Viana, o Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes, o Comandante da Polícia Militar do Estado, Coronel Daniel Mendes, concederam uma coletiva de imprensa, onde foi ressaltado que nenhuma retaliação por parte do Governo será feita em relação aos policiais. “Não há nenhuma informação sobre atos que descumprissem com a ordem. Por isso não haverá retaliações, muito menos perseguição de nenhum dos que estavam envolvidos no movimento de paralisação”, afirmou o coronel Daniel.

Também estiveram presentes na reunião de negociação o comandante do Corpo de Bombeiros do Estado, Hegésipo Donato e representantes das associações dos militares do Pará.

 

Tabela de aumento dos militares com o novo aumento:

 

 

 Soldado - de R$ 1.905,50 para R$ 2.253,20

 Cabo - de R$ 2.021,52 para R$ 2.434,61

 Terceiro Sargento - de R$ 2.168,94 para R$ 2.635,13

 Segundo Sargento - de R$ 2.439,16 para R$ 2.952,14

 Primeiro Sargento - de R$ 2.569,12 para R$ 3.107,75

 Subtenente - de R$ 2.726,82 para R$ 3.344,39 

 

 

 

 

Ascom/Sead